JpD participou de 20 a 29 de maio na 4ª Edição do Fórum dos Jovens Líderes Sino-Africanos

Quarta, 06 de Junho de 2018 - 09:44
esmael

Leia na integra a mensagem da JpD, lida pelo Secretário-Geral, Esmael Teixeira (na foto)

 

INTERVENÇÃO DA DELEGAÇÃO DA JpD

 

Senhor Li Jun, Vice-Ministro do IDCPC, Excelência;

Senhor Song Tao, Ministro do IDCPC, Excelência;

Senhor Wang Heming, Vice-diretor do Bureau da África do IDCPC, Excelência;

Senhoras e Senhores Convidados;

Caros Jovens Líderes dos Partidos Africanos;

Caros participantes.

 

Em nome da JpD (Juventude para a Democracia), agradeço profundamente o convite que nos foi endereçado para participar neste importante Seminário dos Jovens Líderes dos Partidos Africanos promovido pelo PCC (Partido Comunista Chinês), que nos dá a nobre oportunidade de partilhar a experiência da JpD em matéria de políticas para a juventude, igualdade de oportunidade entre gerações, importância da participação dos jovens na tomada de decisões públicas, pensadas e empreendidas em ambiente de liberdade, de democracia e de paz social.

Nós consideramos, que é imprescindível pensar na importância das juventudes partidárias, pois muitos dos futuros políticos dos vários partidos se formam politicamente nas “jotas” que serve de uma verdadeira escola de formação cívica e política, enfim, de viveiro. É salutar dar os bons exemplos desde muito cedo e, ensinar aos jovens das juventudes partidárias que a política serve para servirem e não para se servirem, que a atividade política deve ser um modo de exercício da cidadania, não o único meio de a fazerem e muito menos como opção de emprego para toda a vida. É muito importante cultivar a independência do cidadão político, especialmente do jovem político, de que será tanto melhor cidadão quanto melhor for:

  • A sua formação e percurso profissional;
  • A sua atividade cívica e de voluntariado em prol da sua comunidade;
  • Quanto tiver conquistado pelos seus méritos e capacidades, sem favorecimento e favores de cor política.

A Juventude para a Democracia, para além da atividade política que exerça em representação e defesa dos jovens, trata-se também de um espaço de experimentalismo político e aprendizagem cívica e política para os jovens. Os jovens experimentam a prática da política partidária, cientes da teoria, da ideologia, dos valores e dos princípios políticos e identitários associados ao grande partido de que fazemos parte, que é o MpD (Movimento para a Democracia). Por isso, a formação cívica, defesa dos direitos dos jovens e a promoção da ideologia do partido MpD são as bandeiras da Juventude para a Democracia.

O nosso estatuto destaca a participação cívica e a interação social, e uma observação atenta revela que a JpD é uma estrutura bem organizada, aberta a sociedade civil e, onde o espírito de equipa é forte e a defesa da política juvenil e da ideologia partidária uma luta constante. A nível interno, a JpD vive de debates de ideias e convívios, em que define a estratégia política onde se inserem e redigem propostas de ação destinadas aos órgãos nacionais das estruturas. Fora da direção da JpD são principalmente os jovens e os estudantes quem as vê em ação. Convívios, debates, conferências, eventos desportivos, jornais e sites da internet são as estratégias mais usadas para interagiram com a sociedade.

A JpD tem-se destacado pelo trabalho levado a cabo como sendo a mais forte e influente juventude partidária nacional. Exemplo disso são os nossos jovens autarcas que tem desenvolvido um trabalho de excelência nos seus Concelhos. 

Trago o exemplo do excelente trabalho desenvolvido pelos nossos jovens autarcas, que passaram pela estrutura da JpD, caso de: (Herménio Fernandes, ex-presidente da JpD e hoje presidente da Câmara Municipal de São Miguel; Euclides Silva, ex-secretário-geral da JpD e hoje vereador da Câmara Municipal de São Salvador do Mundo e presidente da JpD Nacional; Valdano Furtado, ex-coordenador local da JpD São Lourenço dos Órgãos e hoje eleito vereador da Câmara Municipal, Vander Gomes, ex-coordenador local da JpD São Vicente e hoje eleito municipal e secretário da Assembleia Municipal de São Vicente e vice-presidente da JpD Nacional; Adileuza Montrond, coordenadora local da JpD Santa Catarina e vereadora da Câmara Municipal, e de entre vários outros jovens que fizeram da JpD a sua escola, que estão hoje a contribuir para o desenvolvimento de Cabo Verde).

O exemplo paradigmático desses jovens autarcas, evidencia que o Poder Local é para nós muito relevante e um dos principais vetores do nosso trabalho porque é através desta política de proximidade que criamos oportunidades e saídas para a juventude em todos os concelhos do país. Nesta mesma linha, salienta-se que para a atual Direção Nacional da JpD é essencial potenciar e mobilizar o capital de jovens autarcas que temos nos vários concelhos.

É importante não só apoiar os eleitos das últimas eleições de 2016, mas também é essencial continuar a preparar os jovens para integrar as listas do MpD às eleições autárquicas de 2020, porque vamos continuar a precisar de jovens com garra e determinação que estejam preparados para os vários desafios autárquicos, dando a JpD garantias ao MpD de que terá jovens capazes de lutar pelos anseios da juventude Cabo-verdiana.

É justo salientar o papel da juventude no aperfeiçoamento da democracia cabo-verdiana. Por isso, a participação juvenil deve ser exercida sem medo e sem condicionamentos para o bem do Sistema Político do país, isto é, o aprimoramento do nosso Sistema Democrático, ou a modernidade da nossa democracia, passa também pela inevitabilidade das organizações juvenis se assentarem em estruturas fortes, autónomas, verdadeiramente livres e de excelência capazes de se constituírem em valiosos instrumentos de influenciação dos poderes públicos.

Consciente do relevante papel da juventude no desenvolvimento de Cabo Verde, nota-se que o atual Governo, liderado pelo Dr. Ulisses Correia e Silva, considera, claramente, a Juventude Cabo-verdiana uma prioridade para o desenvolvimento de uma sociedade sustentada e equilibrada.

As políticas para a juventude estão a serem desenvolvidas através de um diálogo permanente e estruturado entre o Governo e a Sociedade Civil Juvenil, pois, a juventude é um grupo etário determinante para o desenvolvimento sustentável do país, e deve o Estado garantir a igualdade de oportunidades entre gerações e assumir a importância da participação dos jovens na tomada de decisões públicas, assegurando a sua capacidade de afirmação autónoma.

Nesta senda, nota-se distintamente que o atual Governo de Cabo Verde tem no seu bojo a juventude e mostra-se preocupado com o presente e o futuro do país em matéria que tem impacto na vida dos jovens, como o emprego, a educação, o empreendedorismo, a habitação, a inovação, as Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) e o desenvolvimento sustentável.

Por isso, a JpD traçou os seus objetivos e o seu plano de atividade com base nos compromissos assumidos pelo Governo de Cabo Verde, com o intuito de poder defender os interesses dos jovens em todas as circunstâncias que for possível atuar, porque a JpD é um instrumento do jovem, pelo jovem e para o jovem.

Neste quadro, impõe-se referir, que a JpD ambiciona um país cosmopolita, com uma democracia consolidada e com direitos iguais para todos, porque queremos ter jovens transdisciplinares no espaço da interculturalidade e sobretudo aberto ao Mundo, isto é, à multiplicidade das expressões culturais. Nesta mesma linha de raciocínio, entendemos que é preciso investir ainda mais na formação e na conscientização dos nossos jovens. Uma mudança de padrões de comportamento é necessária, atitudes para que a juventude possa ter a motivação e entender que fazer política é fazer coisas que tratam da nossa vida e não como algo ruim e distante da nossa realidade. Interessa-nos jovens com os olhos virados para o Mundo, que compreendam as implicações de se viver em um país com tanta diversidade como o nosso, em um país que pode oferecer ao seu povo muito mais, em todos os sentidos.

Deste modo, destaca-se que um dos principais objetivos da JpD é estimular os jovens a participar na vida política e que façam valer as suas ideias e convicções, bem como saber agarrar cada momento na vida, porque o general, estrategista e filósofo chinês, Sun Tzu, disse certa vez, que “as oportunidades multiplicam-se à medida que são agarradas”. Por isso mesmo, trabalhamos no sentido de incutir em todos os jovens o dever de participação na vida política, com eficácia, com organização, com trabalho, e sobretudo, com inteligência, para que possam agarrar cada oportunidade e pautar pelo rigor e excelência. 

Desta forma, a JpD destaca o importante papel dos jovens no desenvolvimento do país, principalmente a participação decisiva da juventude cabo-verdiana em algumas áreas, nomeadamente no desporto, cultura e áreas empresariais. Citando o Primeiro-Ministro de Cabo Verde, Dr. Ulisses Correia e Silva, “não devemos nunca esquecer que o nosso maior ativo são os jovens e o que desenvolve o país é o talento da nossa juventude”. Por este motivo, a JpD vai continuar a apostar numa organização juvenil institucionalmente bem capacitada, bem apetrechada, com liderança e corpo diretivo credível, e erigir-se como um verdadeiro aliado no desenvolvimento de Cabo Verde.

A concluir, podemos dizer que todas estas experiências vividas pela JpD em matéria de políticas para a juventude, igualdade de oportunidade entre gerações, importância da participação dos jovens na tomada de decisões públicas, vão, por certo, contribuir para consolidar a democracia cabo-verdiana, que, não obstante a sua juventude, tem dado provas de maturidade e de pujança, garantindo, em ambiente de disputa política, de respeito e de tolerância, a estabilidade governativa e o normal funcionamento das instituições, com vista a propiciar níveis superiores de felicidade e bem-estar a todos os jovens cabo-verdianos.

 

Muito obrigado pela vossa atenção.  

Shenzhen China, 26 de maio de 2018.

 

O Secretário-geral da JpD Nacional,

Esmael Teixeira.